Dia Nacional de Combate ao Câncer

Criado em 1988 pelo Ministério da Saúde, o Dia Nacional de Combate ao Câncer (27 de novembro) tem como objetivo ampliar o conhecimento da população brasileira sobre o câncer e, principalmente, sobre como prevenir a doença.

A epidemia global de câncer é grande e deve aumentar. É uma doença que não conhece fronteiras, afeta ou afetará a todos nós, direta ou indiretamente, durante a vida. O número de casos de câncer e mortes pela doença em todo o mundo deve dobrar ao longo dos próximos 20 a 40 anos. O maior crescimento é esperado nos países de baixa e média rendas.

ALGUMAS INFLUÊNCIAS SOCIAIS, ECONÔMICAS E DE DESENVOLVIMENTO DO CÂNCER:

  • Aproximadamente 47% dos casos de câncer e 55% das mortes por câncer ocorrem nas regiões menos desenvolvidas do mundo, isto é, países com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de nível baixo ou médio. Se a tendência atual continuar, a incidência de câncer aumentará 81% nos países com IDH baixo e médio em 2030, em comparação com 2008.
  • Melhorias na saúde das mulheres e outras ações de igualdade de gênero são ameaçadas pelo câncer. Apenas dois tipos de câncer, o do colo do útero e o de mama, juntos, somam mais de 750.000 mortes a cada ano, a maior parte ocorrendo em países em desenvolvimento.
  • O câncer é simultaneamente uma causa e um efeito da pobreza: ele afeta negativamente a capacidade de a família obter renda, levando-os ainda mais em direção à pobreza. Ao mesmo tempo, a pobreza, a falta de acesso à educação, à informação e à assistência médica aumenta o risco de uma pessoa desenvolver alguns tipos de câncer e morrer em consequência da doença.
  • Estima-se que, em 2030, o custo relacionado ao câncer alcance 458 bilhões de dólares por ano. Enquanto isso, estratégias eficazes para lidar com fatores de risco comuns aos cânceres (como uso de tabaco, abuso do álcool, dieta pouco saudável e inatividade física) custariam apenas 2 bilhões de dólares por ano.
  • Embora as doenças não transmissíveis (entre elas o câncer) sejam responsáveis por 65% das mortes no mundo por ano, menos de 3% do orçamento para ações de desenvolvimento geral para saúde foram direcionados a elas em 2007. No mesmo ano, 40% desse orçamento foi distribuído para programas relacionados à prevenção de Aids/DST.
  • Uma abordagem que envolva todo o governo, engajando setores além da saúde, incluindo educação, agricultura, planejamento urbano, meio ambiente, comunicação, economia e finança, esportes, é necessária para reduzir a incidência do câncer.*

trechos do texto Dia Nacional de Combate ao Câncer do site do INCA